Você sabe o que é uma marca? Entenda o que esse conceito significa tanto no campo jurídico, quanto para as ações de marketing.

O conceito de marca vai muito além de uma estampa ou um logotipo. Trata-se de algo mais subjetivo que pode impactar diretamente seus resultados de vendas. E você, sabe exatamente o que é isso? 

Vamos dedicar este post para detalhar esse assunto. Sendo assim, entenda a importância de criar uma marca forte no mercado e que passos tomar para proteger legalmente a sua!

O que é uma marca?

Primeiro, vamos para o conceito jurídico. Segundo o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), órgão federal criado para proteger propriedade industrial, a marca é um “sinal distintivo, visualmente perceptível, que identifica e distingue produtos e serviços”. Ou seja, pode ser entendido como a representação gráfica de um serviço ou produto.

No entanto, do ponto de vista do negócio e do mercado, o conceito é mais abrangente e não se restringe à identidade visual de uma empresa. Além disso, no marketing, a marca está relacionada à imagem da empresa aos olhos do público. Por fim, chamamos de branding todas as ações para promover essa marca.

O que compõe uma marca?

Como você pode perceber, essa ideia está presente no campo jurídico — relacionado ao nome e aos gráficos utilizados —, mas também no marketing, ligado à imagem que o público tem da empresa.

Para esse sentido diversos itens e atributos vão compor uma marca. Entre eles:

  • logotipo;
  • símbolos;
  • fontes de letras;
  • cores;
  • grafismo;
  • nome;
  • bordões.

Esses itens vão diferenciar a marca de outras empresas, e darão uma identidade à empresa. Mas que relevância isso pode ter para o mercado?

Qual a sua real importância no mercado?

Juridicamente falando, a marca é um item obrigatório. Como já pontuamos, o registro é feito pelo INPI. Com esse cadastro, sua marca terá proteção jurídica contra fraudes, plágio, entre outros problemas.

Em relação ao mercado, uma marca bem construída é capaz de fortalecer a empresa aos olhos do público e aumentar o alcance e as vendas. Por isso, esse símbolo pode se tornar maior que o produto que vende.

Por exemplo, era muito comum as pessoas pedirem Bombril, em vez de uma esponja de aço. Dessa forma, esse mesmo fenômeno aconteceu com empresas como Gillette (lâmina de barbear) e Leite Moça (leite condensado). Afinal, a marca fala mais forte.

Se bem trabalhada, esse símbolo vira referência de qualidade no segmento em que atua, atraindo cada vez mais clientes e ampliando a receita.

Como criar um símbolo forte?

São diversos os passos que podem atuar a favor de uma marca forte. Entre as principais estratégias, recomendamos:

  • Desenvolver uma identidade visual criativa e consistente: cores, fontes, logotipos e o tom de voz são aspectos dessa construção que estão em contato direto com o cliente, e muitas vezes geram a primeira impressão.  Por isso, a “cara” da sua marca precisa ser coerente em todas as suas peças de marketing;
  • Produzir conteúdo relevante: esteja presente nas redes sociais e compartilhe artigos inéditos do seu blog, e-books, infográficos e todo tipo de material que possa chamar a atenção da sua audiência. Assim, você pode se tornar referência no seu segmento;
  • Focar na experiência do cliente: o público se apega negócios que entendem seus desejos e necessidades. Assim, se você entrega serviços e produtos de qualidade, as chances de criar uma imagem positiva serão muito maiores.

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a entender o que é uma marca e a importância dela para o crescimento do seu negócio. Dessa forma, com essas dicas, você estará pronto para criar uma marca forte, tanto no aspecto jurídico, quanto na área de marketing.

A Pontodesign oferece serviços de criação de design para o seu negócio! Então, entre em contato para saber mais!