Toda empresa preza por uma imagem positiva diante de seu público e isso é fundamental tanto para a estabilização no mercado quanto para bons resultados. Por isso, o reposicionamento de marca é um trabalho importante quando a resposta não é positiva.

Esse é um assunto de extrema importância e capaz de recolocar uma companhia em lugar de destaque. Qualquer empresa pode ter boa avaliação do consumidor, desde que haja uma estratégia sólida e bem desenvolvida. O mercado já provou isso e há grandes empresas como exemplo.

Neste post, você vai saber mais sobre esse assunto. Confira 3 coisas que você precisa saber sobre reposicionamento de uma marca!

1. O conceito de reposicionamento de marca

De forma simples, pode ser entendido como um processo em que um negócio replaneja a sua imagem diante do público. A proposta é realmente ser vista com outros olhos e, naturalmente, melhorar a avaliação do consumidor acerca da empresa.

Para isso, o negócio precisa realmente mudar de cara: nova linguagem, nova identidade visual, comunicação adequada a essa nova fase e outros pontos importantes. Não é só uma busca por modernização, mas uma melhora ampla e completa com foco nas expectativas do público.

A essência não pode mudar

As mudanças são necessárias, porém, elas nunca podem afetar a essência e as origens da marca. É preciso ter flexibilidade suficiente para atingir o cliente da melhor maneira, mas sem perder as características principais.

É como a linguagem, que muda ao longo dos anos. As gírias, por exemplo, permitem que você expresse um sentimento de diferentes formas, mas o significado final é sempre o mesmo.

Em um outro exemplo, se você trabalha com roupas, não dá para começar a vender ventiladores de uma hora para outra. Nesse caso, é preciso avaliar o que o público tem buscado na moda e, então, se a marca estiver aquém das expectativas, reposicioná-la.

Por falar em mudanças, especialmente a de mercado não deve acontecer — essa adequação deve preservar as raízes da empresa. O foco é um replanejamento dos serviços, dos produtos e, principalmente, da postura diante do consumidor.

Os hábitos de consumo influenciam as mudanças

O consumidor é parte integrante da sociedade e ela está sempre mudando a sua forma de ver o mundo. Naturalmente, isso se reflete em como produtos e serviços são avaliados. Se a sua empresa não souber acompanhar essas mudanças, é comum que ela deixe de estar nas preferências das pessoas.

Os hábitos de consumo refletem essas tendências e a busca por algo novo é contínua. Nem sempre a culpa é das marcas, já que no mundo atual, tudo muda muito rápido. A era digital deu mais espaço para que as pessoas pesquisassem, formulassem opiniões e desenvolvessem seu senso crítico.

Naturalmente, a percepção sobre as marcas fica ainda mais apurada, o que gera mais exigência no consumidor. Esse é o momento em que é necessário se adequar e atender às expectativas.

2. A hora certa de fazer o reposicionamento

Tão importante quanto fazer o reposicionamento de marca é saber a hora certa de executá-lo. Esse é um trabalho que não é feito simplesmente por vontade de mudar. É preciso entender a motivação e, a partir dela, aplicar os novos direcionamentos no negócio.

As razões podem ser externas, como aquelas motivadas pelo mercado e pelo consumidor, mas também podem ser internas devido às questões de gestão. Conheça um pouco mais de ambas a seguir.

Motivações de mercado

As motivações de mercado são externas, ou seja, que não tem como ter controle. A percepção de novos hábitos de consumo, resultados ruins de vendas e a conclusão de que o feedback do público diante da marca já não é mais positivo.

Novas empresas no segmento também podem ser uma motivação. Ideias frescas e abordagens diferentes, mas que têm dado resultado, podem influenciar as outras marcas indiretamente. Nesse momento, é hora de repensar a comunicação, a imagem e até mesmo os produtos e serviços.

Motivações de gestão

Há questões internas que também demandam reposicionamento de marca. Uma empresa pode avaliar a necessidade de trabalhar com um novo público, por exemplo. Há também as companhias que desejam se posicionar de maneira mais sustentável, o que também é uma tendência comum no mercado.

Outras razões podem ser a entrada em novos segmentos ou até mesmo a fusão com outras marcas. A necessidade de ter essa atuação mais ampla reflete na necessidade de reposicionar a imagem.

Mudar da maneira certa

O reposicionamento deve ser feito de forma que o impacto seja apenas o necessário. Muitas empresas recorrem a uma nova identidade visual, o que faz toda diferença nesse processo. A comunicação também se moderniza, mas a busca principal é que ela seja precisa diante do público-alvo da marca.

Para algumas empresas, a necessidade de mudança é muito grande. Há casos em que resultados ruins de venda e até mesmo a má prestação de serviços são os principais motivadores. Nesse caso, o reposicionamento deve acontecer de dentro para fora, na mudança de estratégia — o que reflete na imagem da empresa.

3. As grandes marcas que já passaram por esse processo

Grandes marcas mundiais já passaram pelo reposicionamento. Os resultados são excelentes e ilustram como esse processo consegue ser positivo na maioria das vezes. A seguir, confira alguns cases de sucesso e entenda a proposta por trás de cada um deles.

Havaianas

O baixo custo das Havaianas, no seu surgimento, gerou a ideia de que as sandálias eram voltadas a um público de mal gosto. Essa ideia custou perda de mercado, especialmente para concorrentes diretas, como a Rider.

O reposicionamento veio da seguinte forma: amplas opções de cores, com o valor mais alto e com publicidade que utilizava atores e pessoas famosas nas campanhas.

O resultado foi a reconquista do mercado, que fez as Havaianas expandir seus negócios ao redor do mundo. Não é à toa que o slogan da marca é “Todo Mundo Usa”.

Natura

A Natura sempre foi uma das grandes líderes de mercado e a marca decidiu se reposicionar quando ainda ocupava esse lugar. A ideia foi se reaproximar de suas raízes e reafirmar o conceito de marca próxima à natureza e com suas raízes no Brasil.

O sucesso foi obtido graças a busca pelo posicionamento mais humanitário e, principalmente, sustentável. A marca hoje consegue transmitir essa ideia em uma transição que foi feita gradativamente, sem que ela perdesse mercado.

Adidas

Gigante alemã do mercado esportivo, a Adidas nunca passou por crises, mas sempre viveu à sombra da Nike, líder de mercado e grande concorrente. O reposicionamento aconteceu de maneira precisa e com base em uma estratégia principal: o marketing de influência.

A Adidas se juntou a grandes artistas do mundo pop e dos esportes e, como resultado, fortaleceu a sua linha de produtos de estilo de vida, a Adidas Originals. Com cada vez mais representantes influenciadores, a alemã conseguiu se consolidar de vez no mercado da moda, obteve números gigantes e conseguiu brigar de igual com a Nike.

O reposicionamento de marca é uma estratégia importante e que traz resultados sólidos às empresas. No momento certo e com a execução adequada, é possível manter a boa avaliação diante do consumidor.

Caso a sua empresa esteja precisando de uma cara nova, nós podemos ajudar! Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos serviços.

2018-12-03T13:00:41+00:00

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Vamos começar uma parceria de resultado?

Mais do que Marketing Digital, Design, Comunicação, Branding e Consultoria, fazemos a conexão disso tudo, de forma fluida, com estratégia, criatividade e impacto.

(41) 3336 ★ 3663

[email protected]
Av. Cândido Hartmann, 570
24º andar, cj. 244
CEP: 80.730-440, Curitiba-PR

Diga-nos o que você precisa!





marcar uma reuniãopedir um orçamentotirar dúvidas sobre serviços