Como todo mundo, adoro viajar. E se for para participar de alguns eventos realmente especiais ao redor do mundo, aí é mais especial. O WebSummit, que há vários anos ocorre em Lisboa, com certeza está nesse seleto grupo, tanto que em 2017 a Patrícia e eu estivemos lá. Excelente experiência e alguns devem lembrar dos reviews que fizemos via facebook (primeiro e segundo). E desta vez, vamos contar um pouco sobre o Web Summit 2020.

Na edição 2020, por conta da pandemia Covid19, não foi possível que acontecesse de forma presencial, mas o evento rolou mesmo assim – em versão online – e foi um grande sucesso. Dá uma olhada só nestes números:
– 104 mil participantes de 168 países
– 679 palestras entre mais de 1000 palestrantes

Para ter uma base de comparação, o número de participantes foi 30% maior que 2019 e todo esse sucesso da edição online fez com que Paddy Cosgrave – CEO do evento – anunciasse que em 2021 o evento será híbrido e ainda cravou que serão 70 mil no presencial e mais 70 mil no online.

Web Summit no Brasil

Outra fala relevante (para nós) do Paddy foi que ele pretende realizar uma versão brasileira do Web Summit!!! Sim, isso mesmo. Eles estavam entre 5 países e acabaram definindo por nós. A Época Negócios escreveu esta nota sobre isso. Parece que estão considerando entre as cidades de Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Web Summit: Big reset

Obviamente é muito difícil resumir um evento de quase 700 palestras, em um único post, mas a revista Próxxima trouxe uma ótima tentativa no artigo WebSummit: Big Reset.

Neste artigo eles pontuam que a transformação digital – que já estava em curso – foi tremendamente acelerada pelo Covid 19 e hoje podemos dizer que está tendo um recomeço. Pelo que foi falado em vários painéis, a Inteligência Artificial (AI) é o grande motor desta renovação. Cito um trecho da fala da Barbara Coppola (CEO da IKEA) que explica bem:

“As bases para o big reset são simplificadas . Simplicidade, inclusão e transparência. A IA é o meio, é a melhor forma de acumular e processar informações para tratar cada um como único, exatamente como era no milênio anterior na mercearia do seu João.”

Em resumo, citando outra frase dita no evento: “se dados são o novo petróleo, a AI é a nova energia”.

Diversidade de temas, tendências e opiniões

Além dessa macro tendência da Inteligência Artificial, que permeou uma grande parte das palestras e passou por vários segmentos, saúde, varejo, logística e até ensino, várias outros temas super atuais, foram abordados.

A Oasis Lab fez uma excelente cobertura do evento, com lives no fim do dia para debate e reviews de várias palestras. Como tempo é dinheiro, selecionei abaixo uma palestra ou sessão sobre cada um dos temas que mais me chamam atenção:

– Longevidade de empresas:

Para quem tem interesse sobre este tema, vale ver a palestra Barbie, muito mais que um brinquedo.

Ynon Kreiz, CEO da empresa, falou sobre os caminhos que a Mattel (empresa dona da Barbie) vem percorrendo ao longo de seu 75 anos para manter a boneca relevante, e sendo vendida. Para surpresa de muitos (inclusive minha), ela disse que no turbilhão que foi 2020, eles anunciaram aumento significativo no volume de vendas e explicou um pouco sobre as reinvenções e o foco em conexões, que estão sendo feitas, para que a boneca continue a vender.

– Criatividade:

“Quando a criatividade é uma jornada”.  Nesta palestra, Fernando Machado, CMO do Burger King, tendo como base as campanhas deste anunciante sabidamente irreverente e criativo, mostrou que as grandes ideias nunca nascem prontas:” a invenção avança mais rápido quando há uma estrutura que sabe lidar o pensamento criativo”. Para quem é da criação, vale ler isto.

– Mente empreendedora:

Uma fala que achei bem interessante foi a do Mark Cuban. Foi uma sessão de perguntas e respostas com título “A mente de um mega empreendedor”.

Como eu não sabia, eu vou colocar aqui. O cara é tipo uma banda de um homem só. Ele é empresário, produtor de conteúdo multimídia, filantropo, investidor, apresentador de TV e algum tempo atrás comprou o Dallas Mavericks, um time da NBA. Impressiona a firmeza e a objetividade dele.

– Privacidade Digital:

Para quem se preocupa com o uso ético dos dados, a conversa dos prefeitos de Londres, Toronto e Lisboa foi um show a parte. Com o tema Uso de dados, sim. Big Brother, não! este painel foi muito interessante.

– Transformação Digital:

Na fala Resiliência ou disrupção? Que caminho seguir para inovar?, Sebastian Klauke, do board do Otto Group, comentou que as empresas vencedoras na transformação digital fazem um pouco dessas duas coisas. No texto ele pontua três ingredientes que não podem faltar para uma boa transformação digital.

– IOT – Internet das Coisas:

No Painel Internet das Coisas: muita calma nessa hora, Peter Körte, CTO e Chief Strategy Officer da Siemens e outros executivos dessa empresa conversaram sobre o que falta para a IoT engrenar de vez. Dica: tem tudo a ver com as pessoas, não com a tecnologia.

Como disse, são muitos temas interessantes em um Web Summit, para dar conta de tudo em apenas um único blogpost. Mas acredito que tenha dado um bom sobrevoo por tudo o que consideramos de mais relevante no Web Summit 2020.

E se você curte coberturas de eventos, saiba que aqui mesmo, no nosso blog temos várias. Para quem curte Festivais de Criatividade, publicidade e design temos um sobre nossa visita a Cannes 2015, e outro do ano seguinte, que também fomos. Se você prefere mais tendências em tecnologia e inovação, veja nossos reviews sobre o SXSW 2018 e o SXSW 2019. E para você não dizerem que só tem evento bom lá fora, vejam a nossa opinião sobre o RD Summit 2019.

Enfim, todos os dias nosso pessoal passa um bom tempo lendo diversas matérias e conteúdos para fazer a curadoria deste e-mail. Espero que tenha sido tão relevante quanto foi para nós. E se quiser saber mais sobre a Pontodesign, entre em nosso site e também aproveite para ler outros conteúdos em nosso blog.