Reduza o Custo de Aquisição de Clientes com marketing de conteúdo

Reduza o Custo de Aquisição de Clientes com marketing de conteúdo

Dentre as métricas de marketing digital que você precisa acompanhar em 2018, o Custo de Aquisição de Clientes (CAC) é, com certeza, uma delas. Afinal, é muito importante comprovar o retorno dos investimentos feitos nas áreas de marketing e de vendas.

Uma loja virtual, por exemplo, não deve ter um CAC maior do que o ticket médio do cliente. Em casos como esse, o uso de estratégias de marketing de conteúdo pode ser muito útil para a sua redução.

Quer saber mais? Então acompanhe este post!

O que é Custo de Aquisição de Clientes?

O CAC é o valor que uma empresa gasta para conquistar um novo cliente. Esse número envolve os investimentos feitos nos setores de marketing e de vendas ao longo do funil de vendas. Com tais dados em mãos, basta dividir a quantia gasta para a obtenção de um novo cliente pelo número de clientes conquistados em um período específico. Veja a equação abaixo:

CAC = Investimentos em marketing + Investimentos em vendas / Número de novos clientes em um determinado período

De que forma o marketing de conteúdo influencia o CAC?

O marketing de conteúdo é um dos pilares do Inbound Marketing. Diferentemente do marketing tradicional, o Inbound tem como objetivo chamar a atenção dos seus potenciais clientes com a publicação de conteúdos relevantes em seu blog e redes sociais. Assim, esses materiais são responsáveis por atraí-los via busca orgânica.

Além de gerar autoridade no mercado em que você atua, isso contribui para o estabelecimento de uma relação mais duradoura entre a empresa e o seu público. Não se esqueça de que tão importante quanto conquistar um novo consumidor é fidelizar os atuais.

E como trabalhar tal estratégia?

Crie um blog

Se montar um site é o primeiro passo para que o seu negócio tenha uma presença digital mínima, criar um blog é indispensável para começar a trabalhar o marketing de conteúdo.

Produza conteúdo relevante

Com o blog pronto, chegou a hora de produzir conteúdo de qualidade em texto, áudio e/ou vídeo. Para tanto, você precisa conhecer quem é a sua buyer persona, ou seja, quem vai consumir esses materiais. Realize entrevistas diretas com os seus clientes e/ou utilize pesquisas de perfil de público.

Alinhe a mensagem a cada etapa do funil de vendas

Já conhece bem a sua buyer persona? Então aproveite para alinhar a sua mensagem à etapa do funil de vendas em que o seu comprador se encontra. Por exemplo, no topo do funil, ele quer resolver um problema. Já no meio, está buscando maneiras de solucioná-lo. Por fim, o fundo do funil é o momento certo para fazer uma abordagem de venda mais incisiva.

Monitore os resultados

A principal vantagem do meio digital é a possibilidade de mensuração dos resultados em tempo real. Então acompanhe o desempenho das suas campanhas para saber o que está funcionando bem e o que ainda pode ser melhorado.

Se você chegou até aqui, já sabe como reduzir o Custo de Aquisição de Clientes com marketing de conteúdo. Caso queira contar com a expertise de profissionais da área, entre em contato com uma agência especializada!

Gostou deste post? Aproveite a visita e siga a Pontodesign nas redes sociais: estamos no Facebook, no Twitter, no YouTube e no LinkedIn!

Você tem uma boa equipe de pós vendas?

Você tem uma boa equipe de pós vendas?

O seu trabalho de venda não acaba quando o cliente efetua a compra, certo? Uma boa estratégia de pós-venda é fundamental para o desenvolvimento de uma relação mais duradoura com o seu consumidor e, claro, para o aumento da sua rentabilidade. pós venda

Afinal, conquistar um novo comprador é muito mais caro do que fidelizar quem já fez negócio com a sua empresa. E um cliente satisfeito e fiel é um divulgador espontâneo da sua marca, principalmente nas redes sociais, independentemente do seu porte.

No post de hoje, veja a importância de investir em um bom pós-venda.

O que é o pós-venda?

Podemos dizer que o pós-venda é o atendimento prestado ao consumidor depois da compra de um produto ou serviço. No entanto, em processos mais complexos, fica difícil definir o que faz parte da etapa de venda ou o que já é pós-venda. Em todo caso, o importante é trabalhar o relacionamento para fidelizá-lo por meio de uma experiência de compra positiva.

Quais são os benefícios do pós-venda?

Quando você oferece um bom pós-venda, o cliente percebe a seriedade da sua empresa e, com isso, é criada uma relação de confiança. A qualidade do atendimento prestado pela sua equipe em todas as etapas do negócio garante a sua boa reputação e, por fim, contribui para a sua fidelização.

E como fazê-lo?

Tenha uma equipe bem preparada

A capacitação da sua equipe é indispensável para que a sua estratégia de pós-venda seja bem-sucedida. Tais profissionais devem estar conscientes de que esse momento é uma oportunidade para estreitar o relacionamento com o cliente e, assim, incentivar novas vendas no futuro.

Esteja sempre disponível a ouvir

Mantenha os seus canais de comunicação sempre abertos a sugestões e críticas do seu público. Isso é importante porque a insatisfação de um cliente pode servir como insight para melhorar a sua estratégia.

Não deixe ninguém sem resposta e se manifeste com rapidez. Mesmo que a solução de um problema não possa ser imediata, demonstre que você está disposto a ouvi-lo e empenhado a resolver a situação no menor tempo possível.

Quem tem sua reclamação atendida com eficiência e agilidade pode vir a se tornar um consumidor fiel.

Utilize a tecnologia a seu favor

Sua equipe tem fácil acesso ao histórico dos seus clientes? Aproveite as vantagens que o uso de um CRM (em inglês, Customer Relationship Management) traz para o seu trabalho. Por ser um banco de dados com todas as interações registradas, esse software auxilia na personalização do atendimento também no pós-venda.

Faça ofertas exclusivas

Com base em seu histórico, faça ofertas exclusivas para o seu consumidor. Utilize também estratégias de up selling ou de cross selling para aumentar as vendas.

Agora que você já sabe como é importante investir em uma boa estratégia de pós-venda, coloque esse conhecimento em prática! Aproveite o início do ano para alavancar o seu negócio e fidelizar mais clientes. Se precisar de ajuda, entre em contato com uma agência especializada.

Ficou com alguma dúvida sobre pós-venda? Faça o seu comentário!

Qual o impacto das redes sociais na forma de fazer negócios?

Qual o impacto das redes sociais na forma de fazer negócios?

Você já deve ter percebido que os brasileiros amam curtir, comentar e compartilhar conteúdos na web, não é mesmo? E o impacto das redes sociais não se restringe à esfera pessoal. As empresas também têm marcado presença nesses canais para interagir com os consumidores.

Segundo a Social Media Trends 2018, 94,4% das organizações participantes da pesquisa estão nas mídias sociais e 62% consideram que esses canais possuem um papel muito importante para o negócio. O Facebook continua sendo a rede mais utilizada pelas marcas (98,8%). O Instagram é a segunda colocada e apresentou um crescimento de 26,9 pontos percentuais em relação à edição anterior do estudo.

Neste post, confira o impacto das redes sociais na forma de fazer negócio. Preparado?

Por que as empresas utilizam as redes sociais?

Ganhar visibilidade (85,3%) e interagir com o público (64,8%) são os motivos mais citados pelas empresas para utilizarem as redes sociais. Também conta ponto na tomada de decisão o fato de a concorrência já estar nesse meio (13,6%).

E o que leva 5,6% das marcas a ficarem de fora? A falta de conhecimento sobre o tema (29,6%), um número 166% maior do que o obtido em 2016. A ausência de uma equipe (27,8%) e a escassez de tempo (20,4%) também foram mencionadas.

Quais são os principais benefícios disso?

Entre os principais benefícios estão a divulgação da marca (78,1%), o engajamento da audiência (62,5%), o crescimento das vendas e do número de clientes (51%) e o aumento do tráfego no site/blog (44,9%).

Afinal, estar presente nesses canais serve como um termômetro de como o público enxerga a sua marca. Quando o consumidor está satisfeito, usa o espaço para divulgar espontaneamente o seu produto ou serviço. Mas, se estiver descontente, não tem jeito: o feedback será negativo. Por isso, é importante monitorar os comentários e se preparar para atender às demandas com agilidade.

Vale destacar que 40,3% dos entrevistados já têm mais de três anos de uso desses canais, embora quase 50% ainda se considerem pouco ou nada eficientes nelas.

E como ganhar eficiência nelas?

A resposta é simples: invista em uma estratégia de marketing bem definida. De acordo com a Social Media Trends 2018, 38,3% das empresas seguem um calendário editorial para divulgação nas redes sociais. O resultado disso é que elas alcançam uma média de visitas 2,2 vezes maior do que aquelas que não o fazem.

Por fim, faça a mensuração do seu desempenho, assim como 72% dos participantes da pesquisa. A grande vantagem do online em relação ao marketing tradicional é a possibilidade de análise das métricas em tempo real.

Os indicadores mais acompanhados são alcance (76,2%) e engajamento (74,9%). Em seguida, aparecem conversão (51%), tráfego (47%) e crescimento por canal (37,6%).

Já está convencido do impacto das redes sociais na forma de fazer negócio? Não importa se a sua empresa é ou não experiente no marketing digital, conte com a expertise de uma agência especializada para turbinar a sua presença nesses canais em 2018!

Gostou deste post sobre o impacto das redes sociais? Então, aproveite e compartilhe o conteúdo em seus perfis!

Saiba como escolher a melhor agência de comunicação

Saiba como escolher a melhor agência de comunicação

Se você quer otimizar os seus investimentos em marketing e aumentar a rentabilidade do seu negócio, invista na contratação de uma agência de comunicação. Isso porque uma boa parceira é muito importante para ajudá-lo a gerir melhor o seu tempo e, claro, a planejar a sua estratégia on-line e off-line de 2018.

No post de hoje, saiba como escolher a melhor agência de comunicação. Vamos lá?

O que é uma agência de comunicação?

Diferentemente de um negócio focado apenas no digital, uma agência de comunicação tem know-how para realizar serviços on-line e off-line, sem precisar contratar terceiros. Assim, ela é capaz de apresentar um conjunto de soluções para criar valor para a sua marca.

Para você ter uma ideia, de acordo com a pesquisa “Panorama das Agências Digitais 2017”, apenas 8,9% das agências nacionais se declaram full service e 91,3% prestam serviços de marketing digital.

Quais são as suas vantagens?

Com uma única agência responsável pela sua comunicação on-line e off-line, a mensagem que você quer transmitir ganha mais coerência em todos os canais. E, consequentemente, os resultados aparecem mais rápido.

Além disso, ganha-se agilidade no gerenciamento das atividades, o que é muito favorável para todos os envolvidos. Com mais produtividade, você otimiza o seu tempo e economiza dinheiro, o que é indispensável em tempos de crise econômica.

Como escolhê-la?

Pesquise a reputação

O primeiro passo para escolher uma agência de comunicação é pesquisar a sua reputação em redes sociais, como Facebook e LinkedIn. Converse com seus colegas, peça indicações e observe qual empresa trabalha em parceria com o cliente. Afinal, ninguém sabe mais sobre o próprio negócio do que você mesmo, concorda?

Estude o portfólio

Lembre-se de fazer o dever de casa e estudar o portfólio de cada uma delas. Veja se elas têm como objetivo criar marcas com as quais as pessoas queiram, de fato, relacionar-se. Criatividade e envolvimento são fundamentais para planejar uma estratégia de sucesso, tanto no real quanto no virtual.

Conheça os prêmios

Será que a sua futura parceira já foi premiada em seu mercado de atuação no Brasil e no exterior? Esse tipo de reconhecimento mostra o quanto a empresa preza pela qualidade do que faz.

Faça reuniões presenciais

As ferramentais digitais são muito úteis para facilitar um primeiro contato. No entanto, nada substitui uma reunião presencial, não é mesmo? Em uma visita ao escritório, é possível estreitar as relações com os profissionais da equipe. Vale a pena conferir o quanto a agência está interessada em mergulhar no negócio e na cultura do seu potencial cliente.

Avalie a relação custo-benefício

Por fim, esteja atento às agências que cobram valores muito acima ou abaixo dos que os praticados pelo mercado. Tenha em mente o orçamento que a sua empresa dispõe e examine o cronograma previsto para as ações.

Agora que você já sabe como escolher a melhor agência de comunicação, não perca tempo. Encontre a parceira ideal para ajudá-lo a planejar sua estratégia on-line e off-line de 2018!

Gostou deste post? Então, aproveite a visita e entre em contato com a Pontodesign!

Sem achismo na estratégia! 3 razões para investir em digital analytics

Sem achismo na estratégia! 3 razões para investir em digital analytics

O uso de tecnologias digitais, como estratégia para obter melhores resultados por meio dos recursos da internet, é uma realidade. Mas, ainda existe uma grande insegurança das empresas quando o assunto é investimento em marketing digital.

É comum vermos planejamentos baseando seus resultados em achismo ou feeling. Este não é o melhor caminho. A análise de dados, é fundamental para a tomada de decisões corretas, que visam obter resultados concretos.

Mas, desvendar o ciberespaço parece complicado. Afinal, por onde começar? Com tantas informações disponíveis, quais delas fazem sentido para o seu negócio?

No post de hoje, vamos mostrar três razões para investir em digital analytics e colher resultados efetivos, deixando a insegurança de lado de uma vez por todas!

1. O digital analytcs diz quem é o seu cliente

A análise de dados possibilita mapear informações como idade, sexo, classe social e até influenciadores mais complexos, que indicam personalidade e experiências anteriores

do consumidor com outras marcas.

Ter informações sobre quem são seus clientes é fundamental para desenvolver uma comunicação clara. Saber com quem está falando, as dúvidas e no que se pode ajudar possibilita direcionar esforços e manter contato direto com o público-alvo da empresa, ou seja, aqueles que têm maior chance de aumentar a taxa de conversão.

A partir da coleta e análise de dados é possível não apenas gerar conteúdo estratégico para venda, mas também personalizá-lo, como o envio de e-mail marketing orientado a cada um dos membros de sua lista de contatos.

2. Otimiza os investimentos

Priorizar a coleta e análise de dados impacta, diretamente, a otimização de investimentos. Com informações sobre clientes é possível eliminar ruídos e direcionar campanhas de marketing digital, diminuindo gastos desnecessários, utilizando uma linguagem adequada ao público, gerando satisfação e possível fidelização.

Imagine que você tem uma loja online e descobriu que a maior parte das compras são feitas por pessoas entre 35 e 45 anos, moradores do estado de São Paulo. Apenas com essas informações básicas é possível tanto segmentar e aprimorar os investimentos em redes sociais e Adwords quanto criar estratégias vantajosas para determinados estados ou cidades.

Estratégias sustentadas por dados sólidos são cruciais para reduzir custos e aumentar as vendas!

3. Possibilita monitoramento de métricas

Após conhecer o cliente e criar estratégias otimizando investimento o trabalho ainda não está finalizado. É preciso monitorar as métricas.

Lembre-se, o que não pode ser mensurado não pode ser melhorado!

Mensurar dados e entender quais estão apresentando melhor desempenho, e se não estiver descobrir o porquê, é parte integrante do processo de investimento em digital analytics. Existem diferentes KPIs (key performance indicator) que podem ser analisados, por exemplo:

  • taxa de conversão (total de vendas/total de visitas ao site);
  • ticket médio (total de receita/total de vendas);
  • índice de rejeição;
  • índice de engajamento (total de visitantes que interagiram com a página/total de visitantes).

Além destes indicadores de desempenho, existem outros diversos que podem ser obtidos por meio desse processo, e que podem contribuir na identificação de público-alvo, criação de personas, otimização de investimentos e criação de planejamento estratégico de comunicação.

Quer saber mais sobre digital analytics? Entre em contato com a gente agora mesmo!

 
Fluxo de nutrição: entenda o que é e como utilizá-lo na sua empresa

Fluxo de nutrição: entenda o que é e como utilizá-lo na sua empresa

Você não é especialista em marketing digital? Então talvez não saiba que adotar um fluxo de nutrição na sua estratégia de marketing de conteúdo é uma ótima maneira de conquistar potenciais clientes e, claro, transformá-los em seus consumidores.

No post de hoje, entenda o que é e como utilizar o fluxo de nutrição na sua empresa. Preparado?

O que é fluxo de nutrição?

De início, vamos esclarecer o que é nutrição de leads: trata-se de nutrir os seus potenciais compradores com informações relevantes sobre o seu negócio. Geralmente, isso é feito por meio de e-mail marketing.

Já o fluxo de nutrição, também chamado de régua de relacionamento, são as regras de disparo das mensagens a partir de um evento específico na jornada de compra do cliente, como o download de um e-book ou o preenchimento de um formulário.

Para quem está começando no marketing digital, um software gratuito de envio é suficiente. No entanto, com o passar do tempo, é muito útil contar com uma plataforma de automação de marketing.

Quais são os benefícios?

Com o marketing de conteúdo, sua empresa cria uma relação de longo prazo com o seu público e ganha autoridade em seu segmento de atuação.

Diferentemente do passado, hoje as pessoas não querem ser interrompidas em suas atividades, como a publicidade tradicional faz. A ideia do inbound marketing é justamente atrair a atenção do consumidor com conteúdo relevante.

E uma das melhores formas de distribuí-lo é por meio do envio de e-mails para a sua base de contatos. 

Como criar esse fluxo?

Construa a sua lista de e-mails

O primeiro passo é construir a sua própria lista de e-mails dos interessados em seu produto ou serviço. Não é recomendado comprar um mailing aleatório.

Defina a persona do seu negócio

Você precisa saber quem consome o seu conteúdo para desenvolver materiais adequados a ele, concorda? Para isso, defina a persona do seu negócio, que é a representação semificcional do seu cliente ideal. Uma boa dica é entrevistar diretamente os seus consumidores.

Segmente

Segmente o seu público com base em algum tipo de critério, como o seu estágio na jornada de compra. Isso aumenta as chances de a sua nutrição funcionar de maneira mais eficiente.

Produza conteúdo de qualidade

Tendo em mente o seu cliente ideal, chegou a hora de produzir conteúdos de qualidade para ele: postagens, áudios, vídeos, webinars e e-books. Crie um calendário editorial para organizar o trabalho da sua equipe.

Monitore

Não se esqueça de monitorar o desempenho das suas ações de e-mail marketing. Dessa forma, é possível entender, em tempo real, o que está dando certo e o que ainda pode ser melhorado. 

Agora que você já sabe o que é e como utilizar o fluxo de nutrição na sua empresa, não perca tempo e coloque tudo isso em prática. Se precisar de ajuda, conte com uma agência de comunicação online e offline para melhorar os seus resultados!

Gostou deste post sobre fluxo de nutrição? Aproveite a visita e assine a nossa newsletter para receber todas as novidades direto na sua caixa de entrada!

Indicadores de desempenho de Marketing: o que é preciso monitorar?

Indicadores de desempenho de Marketing: o que é preciso monitorar?

A sua empresa tem um planejamento de marketing? Você acompanha os indicadores de desempenho dessas ações? 

Atualmente, a grande maioria das companhias está inserida no universo on-line, mas nem todas monitoram os resultados de forma profissional. 

Para ajudar a otimizar a sua estratégia e utilizar o orçamento de forma inteligente e efetiva, preparamos este artigo. Esclareceremos, aqui, o que são os indicadores de desempenho, a importância de cada um e como calculá-los. Continue a leitura e esteja um passo à frente da concorrência! 

Métrica e KPI

Embora os termos sejam referentes a indicadores matemáticos e estatísticos, utilizados para analisar o desempenho das campanhas de marketing virtual, eles não as avaliam da mesma forma.

A métrica reflete o comportamento do usuário nos sites ou redes sociais da corporação, enquanto o KPI (Key Performance Indicator) avalia os resultados matematicamente, de acordo com o objetivo definido pelos gestores da empresa.

Métricas de vaidade

Métricas da vaidade são os indicadores de desempenho básico das redes sociais. Sim, nós estamos falando do número de likes recebidos nas postagens feitas nas redes sociais de uma empresa!

Contudo, elas não são consideradas um KPI, pois uma métrica sozinha não exerce influência em tomadas de decisões pela companhia. A motivação de um like pode surgir pelo texto, pela imagem ou, até mesmo, por um clique não intencional.

O número de cliques e compartilhamentos e as taxas de rejeição também são exemplos de métricas.  

ROI

Um dos KPI’s mais revelantes para mensurar o retorno de investimentos em campanhas de marketing digital é chamado de ROI, ou, em inglês, Return on Investiment, ou Retorno sobre Investimento, em português.

O ROI determina se a empresa obteve lucro ou prejuízo em relação ao que gastou com a campanha, e seu calculo é muito simples. Basta selecionar um período e consultar o valor investido e a receita gerada, subtraindo o ganho do capital e dividindo esse valor pelo capital novamente. Para facilitar a compreensão, observe o exemplo a seguir:

Valor Investido – Receita Gerada = X

X/Receita Gerada = ROI

O valor do ROI revelará quanto a empresa lucrou para cada real investido.

CAC

O Custo de Aquisição de Clientes é outro KPI fundamental. Como o nome sugere, é o indicador que revela quanto custa conquistar um cliente. Consequentemente, mede a eficiência do departamento de marketing, já que avalia se as campanhas estão trazendo algum retorno.

A fórmula para calculá-lo é simples: basta dividir o total do valor investido em uma campanha de marketing digital pelo número de clientes conquistados.

LTV

O LTV (Valor do Tempo de Vida do Cliente) mensura exatamente quanto vale um cliente específico para a empresa, durante o relacionamento com a companhia.

Ou seja, é a ferramenta que considera o valor que o cliente adquire em produtos e serviços e quantas vezes ele volta para comprar. Esse cálculo é fundamental para descobrir se houve lucro relativo ao dinheiro investido para conquistar esse consumidor.

Ha duas fórmulas para determinar esse número: a primeira corresponde à soma de todas as compras que essa pessoa efetuou na sua empresa multiplicada pela margem de lucro bruta; enquanto a segunda possibilita uma prévia das atividades do cliente, multiplicando a média mensal das transações pelo ticket médio de compra.

Esse valor deve ser multiplicado pela margem de lucro bruta e, depois, pelo tempo de vida médio do comprador, em meses.  

Taxas de conversão

A taxa de conversão mede os resultados da estratégia de marketing digital por meio de ações dos clientes em seu site, como a inscrição para o recebimento da newsletter ou um pedido de orçamento on-line, além considerar o número de vendas.

Mediante essas informações, para calculá-la, basta dividir o número de pedidos efetuados pelo número de visitas do seu site e multiplicar esse resultado por 100.

Esse total indicará qual a porcentagem de clientes que concretiza uma compra após visitar o seu espaço on-line.

É importante salientar que os KPIs e as métricas devem ser usados em conjunto para que haja uma interpretação correta dos seus dados, possibilitando, assim, o acesso a resultados seguros sobre as estratégias empresariais.

Se você deseja saber mais sobre os indicadores de desempenho de marketing, entre em contato conosco. Nós podemos ajudá-lo!

Marketing direto na web: como vender mais enviando o e-mail certo

Marketing direto na web: como vender mais enviando o e-mail certo

Nos principais livros de marketing o relacionamento aparece como um dos pontos principais para o sucesso de uma estratégia de marketing — alguns até indicam que marketing é praticamente relacionamento. Hoje, um dos principais canais de relacionamento na internet é o e-mail, capaz de estreitar esse contato empresa-cliente e impulsionar as vendas.

Há muitos questionamentos sobre o retorno que o e-mail proporciona, mas há boas comprovações de que os envios de e-mails geram bons resultados. Por isso, cada vez mais empresas investem em estratégias de marketing digital, e-mail marketing e marketing de conteúdo no geral.

Para tornar o processo ainda mais eficiente em termos de vendas, uma dica é utilizar a essência do marketing direto por meio dos e-mails.

O que é marketing direto?

A abordagem do marketing direto se destaca por atingir o usuário no momento correto. Se antes essa prática era feita por meio de malas diretas, telemarketing e outros formatos, hoje o e-mail é essencial para a abordagem. Afinal, conforme indicamos anteriormente, o e-mail é um dos principais canais de comunicação entre empresas e seus prospects e clientes.

Como usar marketing direto por meio dos e-mails?

Agora que você já está convencido de que os e-mails são ótimas formas de aplicar o marketing direto, chegou a hora de entender como colocar tudo isso em prática. Listamos algumas dicas para que você utilize a estratégia da maneira correta.

Identifique o público-alvo

Nesse estágio é importante ter um banco de dados à sua disposição e com informações verídicas para utilizaram e também segmentar. Dessa forma, a eficácia do processo vai aumentar, visto que você conseguirá trabalhar a linguagem característica da sua segmentação — o que potencializará resultados do material.

Escolha o melhor momento para o envio

Se você percebeu que um determinado lead está acessando muito a página específica de um produto, provavelmente é ideal enviar um e-mail de marketing direto para ele.

Identifique as melhores ferramentas

O que não falta hoje são ferramentas na internet! Existem recursos gratuitos e pagos. Dê uma olhada no seu budget e veja qual ferramenta é a ideal para o seu momento.

Alguns recursos são interessantes, como o remarketing. Já as redes sociais como o Facebook possibilitam uma ação integrada com e-mails. Analise!

Tome cuidado com SPAM

Para o usuário não taxar como SPAM seus e-mails, é importante tomar algumas precauções. As mais importantes são:

  • envie e-mails além dos comerciais;

  • apresente itens atrativos já no início, nas primeiras linhas de texto;

  • ofereça materiais de forma gratuita, que gerem valor para o seu prospect e que o mantenha interessado no seu negócio;

  • aumente sua lista de maneira correta — nada de ficar comprando lista de emails de origens duvidosas!

Colocando essas dicas em ação você terá um resultado bem interessante. Para potencializá-lo, é importante praticar técnicas de marketing tradicionais nos novos formatos disponíveis e ficar atento às principais dicas para aumentar a conversão desses materiais.

Gostou de saber mais sobre o marketing direto? Então siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro de outros assuntos como este! Estamos no Facebook, no Twitter e no YouTube!