3 dicas para otimizar a equipe de vendas da sua empresa

3 dicas para otimizar a equipe de vendas da sua empresa

O capital humano é parte vital de uma organização. Não à toa, os empresários investem cada vez mais na qualificação do time de vendas. Afinal, quanto mais preparado ele estiver, maior a possibilidade de o estabelecimento conquistar resultados expressivos.

Lembre-se de que o comprometimento da equipe está diretamente ligado ao sucesso do negócio. Contudo, de nada adianta ter colaboradores dedicados e não proporcionar os aparatos necessários para realizar com excelência o trabalho ou, até mesmo, não oferecer os devidos meios para a capacitação. 

Em outras palavras, é preciso reestruturar a organização, pensando em alternativas capazes de melhorar o desempenho do quadro de efetivos e aprimorar os processos internos. Quer saber como? Confira, então, o conteúdo a seguir e veja 3 dicas para otimizar a equipe de vendas. 

1. Aposte nos treinamentos

Como já dizia a sabedoria popular: “quantidade não é qualidade”. Por isso, tão importante quanto a periodicidade dos treinamentos, é a efetividade. Isto é, as ações devem surtir os efeitos esperados, e os colaboradores não devem só entender, mas absorver os ensinamentos. 

Para não ter erro, organize treinamentos que estimulem diversas habilidades e competências. Afinal, você não quer ter uma empresa que gira apenas em torno de um ou dois colaboradores diferenciados. Pelo contrário: o recomendado é que todos estejam no mesmo nível e tenham características singulares. 

Saiba que ter um posicionamento adequado, dominar a linguagem corporal e ter uma boa comunicação são aptidões essenciais, que podem ser desenvolvidas e aperfeiçoadas com os treinamentos. 

2. Aprenda a gerir melhor o tempo

Não são raros os casos de profissionais que afirmam que o dia deveria ter pelo menos 30 horas — somente assim conseguiriam realizar todas as tarefas em tempo hábil. Acredite: as pessoas com esse pensamento, possivelmente, têm dificuldade em administrar bem o horário. 

Para elas, o relógio é um inimigo. Porém é possível reverter essa situação, tornando o tempo o seu aliado. O mais recomendado é investir na automatização das tarefas, principalmente daquelas que são relativamente fáceis, mas burocráticas.

Pense no tempo que é desperdiçado em atividades rotineiras que poderiam ser resolvidas com o auxílio da tecnologia. Assim, você e sua equipe de vendas dedicarão os seus esforços para ações mais complexas, que ampliarão a receita da empresa

Além do mais, tenha em mente que a automatização dos processos vai tornar o dia a dia empresarial mais simples e prático, fator que contribuirá com a produtividade da equipe comercial.

3. Invista em ferramentas diferenciadas

Quem não é visto, não é lembrado. Essa, sem sombras de dúvidas, é uma máxima no mundo dos negócios. Nada mais sábio, então, do que apostar em ferramentas de anúncios, pois uma boa estratégia de marketing aliada a um trabalho impecável da equipe comercial gerará um cenário extremamente positivo para a empresa, alavancando, assim, as vendas.

Por isso, crie alternativas para aumentar o alcance da empresa e melhorar o relacionamento com os clientes. Google Ads, Facebook Ads e e-mail marketing são apenas algumas opções. O ideal é que o responsável pela comunicação compreenda bem o perfil do público e crie ações que dialoguem com os potenciais clientes.  

Mas não é só isso. O inside sales, que, em tradução literal, significa vendas internas, também é uma ferramenta mais do que bem-vinda, uma vez que é capaz de reduzir custos, otimizar o trabalho e aumentar o faturamento. 

Fato é que não existe uma fórmula mágica para otimizar a equipe de vendas. Essa é uma tarefa gradual, que exige paciência e, claro, dedicação. Além do mais, não se esqueça de mensurar os resultados das metodologias implementadas. Somente assim você saberá a efetividade das ações.

Agora que já sabe como otimizar o setor comercial, conte para nós as suas experiências com as novas tecnologias. Já implementou alguma na sua empresa? Qual foi o resultado? Deixe seu comentário!

Marketing de conteúdo: 6 benefícios que essa estratégia traz para as empresas

Marketing de conteúdo: 6 benefícios que essa estratégia traz para as empresas

Investir em estratégias de marketing digital é uma necessidade básica para empresas que desejam crescer utilizando os recursos disponíveis na internet. Dentre as várias vertentes do segmento, o marketing de conteúdo é uma das que mais cresce tanto em investimento quanto em resultados gerados.

Basicamente, a ideia de uma estratégia como essa é utilizar a produção de conteúdo relevante para atrair a atenção do seu público-alvo. Com isso, o objetivo é auxiliar esses consumidores na jornada de compra e potencialmente transformá-los em clientes. No post de hoje, vamos apresentar a você 6 benefícios que essa iniciativa pode trazer para seu negócio.

O marketing de conteúdo traz os seguintes benefícios

1. Aumenta a quantidade de conteúdo do site

O primeiro benefício — quase óbvio, é verdade — é o aumento na quantidade de conteúdo em seu site. Afinal de contas, uma vez que você começa a trabalhar com marketing de conteúdo, naturalmente, sua empresa terá uma quantidade e uma variedade maior de posts para publicar em seu blog. Vale lembrar, no entanto, que apenas a quantidade não é suficiente. É preciso atentar também para a qualidade do material produzido.

2.  Melhora a geração de tráfego

Quando você produz mais conteúdo, seus canais de marketing digital passam a ter mais insumos para o investimento na geração de tráfego. Seja pelos resultados de pesquisas nos buscadores, seja pela publicação nas mídias sociais a até mesmo por meio do e-mail marketing. Com marketing de conteúdo, o tráfego em seu site tende a crescer, aumentando assim as suas chances de conversão em leads e vendas.

3. Otimiza o posicionamento do site nos buscadores

Um dos benefícios mais diretos do marketing de conteúdo e muitas vezes o único apresentado por profissionais da área é a melhoria no posicionamento do site nas páginas de resultados dos buscadores. É claro, o conteúdo não é o único fator que influencia no ranqueamento, mas sem dúvida é um dos mais determinantes. Se a produção de conteúdo for bem planejada e produzida com foco em palavras-chave determinadas, esse resultado tende a ser ainda melhor.

4. Aumenta a taxa de conversão de leads

O marketing de conteúdo é uma estratégia que traz resultados a médio e longo prazo. Isso porque nenhum conteúdo é produzido para vender diretamente, mas sim para construir relevância para a empresa ao longo do tempo.

Essa relevância faz com que as pessoas passem mais tempo no site, o que naturalmente ajuda a aumentar a taxa de conversão de leads. Com o tempo, as pessoas entendem que sua empresa é relevante no segmento e, portanto, se cadastram para receber mais conteúdo com periodicidade.

5. Reduz o custo de aquisição de clientes

Como os resultados do marketing de conteúdo costumam demorar mais para aparecer em relação a outras ações, como a compra de mídia, muitos empresários costumam achar o trabalho caro. No entanto, a realidade é outra. 

A produção de conteúdo tem um custo bem menor que outras estratégias de marketing digital e produz um resultado que, apesar de vir a médio e longo prazo, tende a ser muito mais duradouro e sustentável.

6. Ajuda a tornar a marca referência no segmento

Como já falamos diversas vezes desde o início do post, o marketing de conteúdo auxilia muito na construção da marca e na forma como o público-alvo percebe a empresa no mercado. Se você tem conteúdos relevantes e excepcionais, há uma chance muito maior de sua empresa ser lembrada com mais frequência como uma organização que educa o mercado e é referência naquilo que faz.

O marketing de conteúdo já deixou de ser tendência para se tornar uma realidade entre as empresas que mais crescem em cada segmento. Seu negócio não pode perder a oportunidade de aproveitar essa estratégia para aumentar ainda mais suas taxas de crescimento.

Esperamos que você tenha gostado deste artigo. Caso queira receber outros conteúdos com mais novidades de marketing digital, assine também a nossa newsletter

Como criar uma campanha de remarketing de sucesso?

Como criar uma campanha de remarketing de sucesso?

Se você costuma fazer compras on-line ou pesquisar produtos na internet, então provavelmente já deve ter sido perseguido por banners de um produto visualizado minutos antes. Isso não é uma coincidência. Na realidade, é apenas mais uma campanha de remarketing.

Diariamente, centenas de pessoas são impactadas por anúncios desse tipo sem saber que as suas empresas também podem utilizar essa técnica para gerar novos negócios. O objetivo deste post é justamente mostrar a você como obter sucesso com uma campanha de remarketing.

Saiba o que é remarketing

O remarketing é uma estratégia de marketing digital que tem como objetivo aumentar a conversão do anunciante. Essa meta é atingida por meio da exibição de anúncios, mais de uma vez para a mesma pessoa, após a primeira visita desse usuário à página do produto ou serviço.

Ele existe porque a maioria dos consumidores não realiza a conversão logo na primeira vez em que vê um anúncio ou visita a página de um produto ou serviço. Segundo dados do Google, no caso de lojas virtuais, 97% dos visitantes de um site não convertem no primeiro acesso.

A seguir, reunimos cinco dicas que vão ajudá-lo a ter sucesso em sua próxima campanha de remarketing.

Mantenha uma segmentação de público variada

Quando se fala em remarketing, o mais natural é pensar em pessoas que visitaram determinado produto e saíram sem converter. No entanto, uma campanha de remarketing pode ter segmentações de públicos mais variadas que apenas essa visão básica.

Para melhorar os seus resultados com essa ação, pense também em outras possibilidades. Com o remarketing, é possível atingir todos os visitantes do site, pessoas que abandonaram o carrinho de compras, clientes que já compraram e não retornaram para uma nova conversão ou até mesmo aqueles que têm potencial para uma venda cruzada, por exemplo.

Utilize a geolocalização nas campanhas

A geolocalização é também uma das formas de se segmentar o público para fazer uma campanha de remarketing. Isso quer dizer que, além de utilizar a visita do usuário como base, você também pode levar em consideração a localização dele para a exibição do anúncio.

Essa é uma alternativa válida para estabelecimentos com sede física ou até mesmo para direcionar o discurso do anúncio às particularidades da região onde se encontra o usuário.

Escolha um bom call to action

O call to action é uma das partes mais importantes de uma campanha de remarketing bem-sucedida. Afinal de contas, é o texto do CTA que vai estimular aquele usuário a visitar o seu site novamente para realizar a conversão.

Para isso, fique atento ao momento da jornada de compra em que o consumidor se encontra. Enquanto, para o cliente que já comprou, você vai tentar direcionar uma nova compra, para aquele que ainda não converteu a saída pode ser um CTA que ofereça desconto atrativo.

Tenha atenção com o planejamento

O planejamento de uma campanha de remarketing inclui todos os elementos que comporiam qualquer iniciativa de marketing digital. Público-alvo, investimento, prazo e meta são apenas alguns deles. 

No entanto, entre eles há também um ponto característico do remarketing: o limite de impressões. Como dissemos no início, o remarketing é conhecido por ser o formato de publicidade digital que persegue as pessoas internet afora. É importante tomar cuidado com o excesso de exibições do anúncio porque, se ele passar do limite aceitável, a campanha torna-se cansativa.

Avalie o resultado e otimize as campanhas regularmente

Finalmente, como qualquer campanha de marketing digital, é muito importante manter-se atento às métricas para poder avaliar o resultado desse esforço. Indicadores como o custo por clique, o custo por aquisição e a taxa de conversão são essenciais para entender a eficácia da iniciativa.

Só medir e monitorar, no entanto, não adianta. Aproveite os números fornecidos pelas plataformas de remarketing para também entender em quais aspectos a sua campanha pode ser otimizada e melhorada.

Que as nossas dicas sirvam como estímulo para você investir em sua próxima campanha de remarketing. Com foco, dedicação e estratégia, os resultados serão uma questão de tempo.

Siga-nos no Facebook, Twitter, Youtube ou LinkedIn e fique por dentro de todo o conteúdo que geramos e compartilhamos!

Análise de dados: qual é a importância para tomada de decisões?

Análise de dados: qual é a importância para tomada de decisões?

Se você é gestor de uma empresa, provavelmente já sabe da importância da análise de dados para a tomada de decisões mais assertivas. Afinal, já passou o tempo de basear o planejamento de marketing digital em achismo, não é mesmo? Com o avanço da tecnologia, um imenso volume de dados digitais está disponível para quem souber usá-lo.

No entanto, muitas vezes, as pessoas confundem a coleta de informações com o seu verdadeiro uso no dia a dia de uma organização. Para extrair insights úteis para seu negócio, é preciso que os profissionais tenham maturidade em Business Intelligence (BI).

Pensando nisso, apresentamos este post falando sobre a importância da análise de dados no processo de tomada de decisões. Acompanhe:

1. Desenvolva estratégias mais eficientes

Uma das principais vantagens do digital em relação ao marketing tradicional é a possibilidade de mensuração do desempenho de uma campanha em tempo real. O objetivo é saber que ações estão dando certo e verificar aquelas que devem ser corrigidas com urgência, já que não têm funcionado como o esperado.

No entanto, para que você consiga realizar um monitoramento adequado, é fundamental escolher os KPIs (em inglês, Key Performance Indicators) adequados para o seu negócio. Por associarem uma métrica a um objetivo, os indicadores-chave de performance são considerados estratégicos.

Infelizmente, na correria cotidiana, eles costumam ser deixados em segundo plano, o que prejudica o diagnóstico da sua empresa. Não desperdice a oportunidade de desenvolver estratégias mais eficientes a partir de insights extraídos de seus dados.

2. Otimize o ROI

O ROI (em inglês, Return on Investment) é um dos KPIs mais relevantes quando se trata de medir o resultado de uma ação de marketing. Embora seja utilizado no marketing tradicional há muito tempo, ele ganhou destaque no online diante da facilidade de rastreamento de dados.

Por exemplo, você sabe dizer quais das suas estratégias trouxeram um retorno positivo, negativo, ou neutro recentemente? Com o acompanhamento constante do ROI, é possível ter números confiáveis para planejar qual objetivo deve ser alcançado em um determinado período de tempo para o sucesso do seu negócio.

O cálculo do ROI pode ser feito por meio da equação abaixo:

ROI = (Lucro do investimento – Custo do investimento) / Custo do investimento

No entanto, lembre-se de que o seu lucro não é o ganho total em vendas. Na verdade, ele é a margem de ganho sobre cada venda, certo?

3. Tenha controle do seu orçamento de marketing

Em tempos de crise econômica, não há como basear seus investimentos em tentativa e erro. Isso não faz mais sentido no mundo digital, acredite. Defina os KPIs do seu negócio, faça o monitoramento das suas campanhas e tenha controle do seu orçamento de marketing. Tomando esses cuidados, é possível evitar surpresas desagradáveis.

Se você chegou até aqui, já deve estar convencido da importância da análise de dados para a tomada de decisões mais inteligentes na sua empresa. Se precisar de ajuda, contrate uma agência especializada em marketing digital e conte com uma equipe experiente em BI. Com certeza, o investimento vai valer a pena!

Gostou deste post sobre a importância da análise de dados para a tomada de decisões? Ficou com alguma dúvida? Comente aqui!

4 parcerias que podem ajudar você a aumentar as vendas!

4 parcerias que podem ajudar você a aumentar as vendas!

A internet transformou a dinâmica da sociedade e deu origem a um novo tipo de consumidor, mais bem informado e exigente. As ações de vendas — que costumavam ser exclusivamente voltadas para a mídia de massa — hoje caminham para o relacionamento por meio de canais interativos e mais individualizados, pelos quais é possível dialogar com clientes.

Nesse sentido, as empresas precisam cada vez mais empreender mudanças na forma de se comunicar com seus diversos públicos. Mas tudo ainda parece muito novo e você não sabe exatamente por onde começar?

Não se sinta sozinho nessa missão. Para se adaptar à nova realidade, é fundamental estabelecer parcerias. Confira 4 dicas que vão lhe ajudar a encontrar os aliados certos para aumentar as vendas!

1. Invista em uma empresa que ofereça o melhor software de CRM

O Customer Relationship Manager (CRM) é um software de gestão de relacionamento com os clientes que permite conhecê-los melhor, mapeando suas necessidades, hábitos e preferências para orientar decisões estratégicas.

O CRM ajuda a alinhar e aperfeiçoar a comunicação da empresa, fornecendo as informações mapeadas para os diversos canais de relacionamento e vendas, recebendo deles novos dados continuamente. Assim, a equipe pode ficar concentrada em vender e fidelizar, já que a integração contínua de dados e a sua interpretação inteligente reduzem drasticamente os erros humanos e o tempo dedicado à pesquisa.

A função de um bom software vai além do armazenamento de dados: todos os setores devem ser integrados e os registros devem ser tratados e transformados em conhecimento sobre tendências de comportamento dos clientes. Leve isso em consideração na hora de escolher uma empresa para conduzir a implantação.

2. Encontre o principal digital influencer do seu segmento

Outra estratégia para aumentar as vendas no ambiente online é associar a sua marca à popularidade de digital influencers do seu segmento. São blogueiros, vloguers e perfis do Instagram que fazem sucesso na internet e podem incluir seus produtos no contexto do conteúdo que produzem.

Se você vende roupas, por exemplo, pode buscar blogueiras de moda da sua região para compor looks com suas peças. Cada digital influencer tem sua própria política comercial nesse sentido. Procure aquele capaz de oferecer as melhores condições para você.

3. Diversifique seus canais de venda com marketplaces online

Os marketplaces possuem uma expressiva participação no comércio de bens e serviços online. Podem ser comparados aos conhecidos shopping centers, pois reúnem diversos lojistas e compradores em um só lugar.

Atualmente, os marketplaces mais famosos no Brasil são o Mercado Livre, Submarino e Shoptime, além de e-commerces de marcas populares como Walmart, Extra, Ponto Frio, Casas Bahia e Americanas. A vantagem para o varejista é aproveitar a força dessas marcas enquanto adapta aos poucos a estrutura da própria empresa para o comércio virtual.

4. Contrate uma agência especializada para planejar sua presença digital

Para melhorar a performance da sua equipe de vendas, não basta estabelecer metas desafiadoras e oferecer treinamento intensivo. O faturamento também depende da construção de uma marca de valor — e a internet tem uma participação imprescindível nesse processo.

Duvida? Vamos supor que você precise de computadores novos na sua empresa e inicia contato com vários fornecedores. Após fazer uma pesquisa no Google, encontra representantes comerciais de três empresas:  IBM, DELL e XYZ. Qual terá que se esforçar mais para lhe convencer sobre a qualidade do produto oferecido? A XYZ, claro. Afinal, você provavelmente nunca ouviu falar nessa marca (nesse caso, ela não existe mesmo).

Já parou para pensar se seu cliente trata sua marca assim? Com isso em mente, para melhorar a reputação e as vendas na web, é preciso muito mais do que criar um site e uma página nas redes sociais. A internet é um ecossistema complexo e competitivo: chamar atenção em meio a tantos estímulos não é uma tarefa fácil.

Por isso, todas essas estratégias devem ser coordenadas e planejadas de maneira integrada, fortalecendo sua marca e sua presença digital para aumentar as vendas. Nesse projeto, é muito importante contar com uma agência especializada, capaz de trabalhar com uma visão aprofundada do seu mercado.

Não perca mais tempo: conheça os serviços da Ponto Design e descubra como podemos lhe ajudar!

 

Rede de pesquisa ou rede display: qual anúncio do AdWords devo escolher?

Rede de pesquisa ou rede display: qual anúncio do AdWords devo escolher?

O Google Adwords continua sendo uma das melhores alternativas de investimento em publicidade digital. Mas na hora de configurar uma campanha, muita gente ainda tem dúvidas sobre qual rede utilizar, podendo comprometer o sucesso dela, caso não escolha a opção ideal. Rede de pesquisa e rede display: você sabe qual é a melhor para o seu negócio?

Essas duas redes são extremamente diferentes e devem ser separadas em campanhas únicas. Caso contrário, será um grande desafio medir o desempenho de cada rede e estabelecer metas específicas para cada uma. Confira os detalhes!

O que é rede de pesquisa e rede display?

Quando você inicia uma campanha de publicidade no Google Adwords, precisa escolher obrigatoriamente entre rede de pesquisa e/ou rede display. Por isso, conheça agora as características específicas de cada uma:

Rede de pesquisa

É a forma mais comum e conhecida de publicidade. Nesse formato, seus anúncios serão elegíveis para aparecerem no Google SERPs (Search Engine Result Pages). Ou seja, toda vez que alguém fizer uma pesquisa no site de buscas com as palavras-chaves relacionadas ao seu anúncio, ele aparecerá no topo ou na coluna lateral direita dos resultados.

Ele pode aparecer também em sites de buscas parceiros do Google. Mesmo com um tráfego menor de usuários e um número bem reduzido de pesquisas, essa é uma forma interessante de aumentar a suas chances de ser encontrado por quem precisa ou deseja o que está oferecendo. É bom lembrar que, ao escolher a rede de pesquisa, os anúncios não aparecerão em forma de banner em outros sites.

Rede display

Além do resultado nos sites de busca, o Google oferece aos anunciantes a oportunidade de colocar seus anúncios em uma variedade de sites pela internet. Essa coleção de sites, que varia entre blogs, sites de notícias e até mesmo o YouTube, é conhecida como a rede display e ajuda aumentar a sua presença no ambiente online.

É importante lembrar que, ao escolher apenas essa modalidade, seus anúncios não aparecerão nos resultados de buscas do Google.

Quais as vantagens de cada opção?

Ambas, rede de pesquisa e rede display, possuem vantagens que não podem ser desconsideradas: vejas as principais de cada uma:

Vantagens da rede de pesquisa

A rede de pesquisa é um formato de publicidade incrivelmente eficaz, porque seu anúncio é apresentado a um pesquisador ativo, que está em busca de algo que ele oferece. Nessa modalidade de publicidade paga, não só os anúncios são mais robustos como também permitem a inclusão de extensões com links adicionais, números de telefone, endereços, descrições dos produtos e serviços etc.

Uma vez que a rede de pesquisa conecta os anunciantes às pessoas que procuram ativamente seus produtos, as campanhas tendem a gerar mais conversões em vendas do que as campanhas por meio de rede display.

Vantagens da rede display

De acordo com o Google, a rede display é formada por mais de 2 milhões de sites, atingindo mais de 90% dos usuários globais de internet. Dada a amplitude dessa rede, ela é incrivelmente atraente para os anunciantes que estão buscando expandir sua presença online.

É o espaço ideal para promover a conscientização da marca e o seu vasto alcance possibilita aos anunciantes expandirem suas bases de leads. Ao aumentar a visibilidade do negócio na web, você pode ver as buscas específicas pela marca subirem e melhorar o posicionamento dela no Google, alcançando mais cliques em listagens orgânicas. Além disso, esses cliques tornam-se menos onerosos do que os cliques na rede de pesquisa.

Recomendamos que a sua empresa adote uma estratégia de campanha para ambas, rede de pesquisa e rede display, sempre que o orçamento o permitir. No entanto, para realmente colher os benefícios de cada rede, divida as campanhas para monitorar os resultados separadamente.

Do ponto de vista estratégico, isso permitirá que você crie mensagens com base no cenário em que seu público está visualizando os anúncios. Essa segmentação é vital para você definir orçamentos e lances específicos por rede e ter melhores retornos.

E você, o que prefere? A rede de pesquisa, a rede display ou ambas as redes? Conte para a gente nos comentários!

Entenda o que é Business Intelligence e como isso pode ajudar sua empresa

Entenda o que é Business Intelligence e como isso pode ajudar sua empresa

O volume e a complexidade cada vez maior dos dados exige um grande esforço organizacional para se extrair o máximo de informações valiosas deles. Isso tem feito do Business Intelligence uma tendência forte para as estratégias de negócios.

No Brasil, a tecnologia ainda é pouco utilizada e aos poucos vem ganhando força no mundo empresarial conforme suas vantagens e benefícios vão sendo enxergadas. Mas, afinal, você sabe o que é Business Intelligence? Descubra a partir de agora tudo sobre essa incrível ferramenta!

O que é Business Intelligence (BI)?

O Business Intelligence é um conjunto de técnicas colocadas em prática por meio de uma ferramenta (software) para a aquisição e transformação de dados brutos em informações perspicazes, facilitando a leitura deles pelos gestores e elevando o potencial de análises mais precisas sobre o negócio.

Trata-se de uma infraestrutura tecnológica utilizada para extrair o máximo de informações a partir de dados disponíveis com o objetivo de melhorar os processos de negócios. Para a formação de uma infraestrutura de BI sólida e funcional, o software deve agrupar os dados, analisá-los, interpretá-los e facilitar o compartilhamento deles.

Dessa forma, a ferramenta realiza análises profundas e segmentadas, fornecendo informações precisas para ajudar os gestores a tomarem decisões de negócios eficazes e de alta qualidade. Inclusive, muita gente confunde Business Intelligence com Big Data. Embora estejam correlacionadas, são soluções completamente diferentes.

O Big Data é uma ferramenta utilizada para a coleta e armazenamento de dados de forma automatizada. Representa volume de dados. Já o Business Intelligence agrupa e analisa esses dados, fornecendo informações de fácil leitura e interpretação.

Ou seja, O BI é uma ferramenta que pode complementar uma estratégia de Big Data, pois saberá usar esses dados com inteligência para o direcionamento estratégico do negócio.

Por que usar Business Intelligence?

Existe uma ampla gama de aplicações para o BI e cada uma contribui diretamente para reforçar o potencial estratégico do negócio. Veja agora os principais benefícios que a ferramenta proporciona:

  • facilita a identificação de pontos falhos nos processos internos;
  • motiva a descoberta de novas oportunidades de negócios;
  • gera relatórios com alto grau de interpretação;
  • permite rápidas ações por parte dos gestores;
  • aponta oportunidades de redução de custos;
  • ajuda a otimizar os processos em geral.

Como aplicar Business Intelligence na empresa?

Agora que você já sabe o que é Business Intelligence, é hora de saber como implementar a estratégia na sua empresa:

Avalie as necessidades do negócio

O que você espera alcançar ao implementar o BI no seu negócio? A resposta para essa pergunta deve ajudar você a identificar as principais necessidades da empresa. O Business Intelligence é tudo sobre dados, e provavelmente a sua empresa acumulou muito disso ao longo dos anos.

Uma das principais funções do BI é reunir esses dados de diferentes partes do seu negócio e analisá-los. Então, considere previamente com quais tipos de dados você deseja trabalhar. Assim, terá resultados com foco no problema que pretende resolver. 

Tendo isso em vista, compreenda as suas prioridades e crie um plano de longo prazo para o seu negócio. Só então, os sistemas de BI poderão ajudá-lo a atingir seus objetivos.

Conte com ajuda profissional

Implementar uma estratégia de BI na empresa sozinho não é uma tarefa fácil. Aliás, exige conhecimentos, qualificações, habilidades e experiências exclusivas no assunto. Adicionalmente, vai tomar grande parte do seu tempo nos processos de planejamento, testes, implementação, monitoramento e controle. Depois de tudo isso, ainda corre-se o risco de não funcionar como deveria.

Para evitar esse trabalhão e reduzir os riscos, o ideal é contar com uma empresa especializada em Business Intelligence. Assim, você terá o apoio de profissionais com alto grau de know-how atuando para proporcionar as melhores experiências com a ferramenta e gerar resultados melhores e mais rápidos para o seu negócio.

Agora, não há mais dúvida sobre o que é Business Intelligence e nem sobre como implementá-la de forma eficiente. Aproveite essa oportunidade e agregue força competitiva ao negócio.

E você? Como analisa os dados da sua empresa? Conte para a gente nos comentários!

O que DEFINITIVAMENTE não pode faltar em um planejamento de marketing?

O que DEFINITIVAMENTE não pode faltar em um planejamento de marketing?

Muitos profissionais de marketing executam ações de publicidade de forma desenfreada, pois acreditam que isso é o que trará resultados efetivos. Entretanto, só estão gastando energia e dinheiro desnecessariamente.

Quando bem estruturado, o planejamento de marketing digital dirá o que deve ser feito, como, quando e para quem. Mas você sabe o que um planejamento precisa apresentar para servir como um verdadeiro guia para o seu negócio? Confira o que definitivamente não pode faltar!

1. Análise de mercado

Antes de qualquer coisa, você precisa conhecer o mercado em que atua. Isso inclui clientes, fornecedores, concorrentes, entidades governamentais fiscalizadoras, exigências sociais e ambientais impostas pela sociedade e governo etc. Muitas dessas informações devem ter mais do que apenas números, abordando também as questões qualitativas.

Por exemplo: ao estudar o seu público, foque além da faixa etária, renda e localização, dando atenção também aos problemas, necessidades e desejos na vida pessoal e profissional da audiência. Os aspectos emocionais devem estar presentes no estudo para ajudarem a definir com maior exatidão o perfil e o comportamento do consumidor.

Conhecendo seu consumidor com mais clareza, é mais fácil definir estratégias que sejam eficientes e que tragam o retorno esperado.

2. Objetivos claros

Com base nos resultados da pesquisa e análise de mercado, defina objetivos de curto, médio e longo prazo. Por exemplo: uma meta de um ano (longo prazo) pode ser dividida em metas semestrais ou trimestrais (médio prazo) e mensal ou semanal (curto prazo).

Esses objetivos precisam dizer o que deve ser feito em cada etapa e como (metodologia aplicada). Além disso, é necessário descrever quais recursos tecnológicos serão usados. Dessa forma, é mais fácil analisar o sucesso ou a ineficiência das suas estratégias durante o período estabelecido pelas metas.

3. Planos de ações

O plano de ações deve envolver uma série de atividades: pesquisa, análise, definição da estratégia e aplicação, monitoramento e controle, mensuração dos resultados e repetição do ciclo.

Nesse ponto, o planejamento de marketing digital já pode servir como um guia de consulta para que os gestores e profissionais do setor não percam o foco. Lembrando de que o planejamento não deve ser imutável e precisa ter flexibilidade para receber adequações à realidade do cenário atual.

4. Mensuração de resultados

Um calendário com a programação das ações planejadas também é essencial. Ele deve definir os períodos de mensuração de resultados conforme a execução das ações planejadas previamente.

O ideal é que seja dado sempre o mesmo espaço de tempo entre as ações executadas e a mensuração (um mês, por exemplo) para facilitar a comparação e descobrir períodos sazonais, ou seja, comportamentos recorrentes em determinada época.

Esse calendário precisa alinhar as ações planejadas com as mensurações de resultados e agregar sincronia cronológica ao planejamento.

5. Apoio profissional

Deixamos a parte mais importante para o final. Realizar um planejamento de marketing digital por conta própria é possível, mas vai exigir tempo, dedicação, conhecimentos específicos, habilidades e experiências — e a sua empresa pode não aproveitar todo o potencial que esse planejamento oferece.

O ideal é contar com o apoio de um profissional especializado no assunto. Como ele tem alto grau de know-how, o seu planejamento ficará pronto mais rapidamente e trará resultado melhores em menos tempo.

Agora que você já sabe o que não pode faltar em um planejamento de marketing digital, que tal começar o seu agora mesmo? Aproveite as nossas dicas e alavanque os resultados do seu negócio! Para ajudar, baixe o e-book “Menos é mais: como um orçamento de marketing pode ser vantajoso?”.